sexta-feira, março 24, 2006

Fatos Científicos:

1. A ENGENHARIA GENÉTICA É FUNDAMENTALMENTE DIFERENTE DO MELHORAMENTO GENÉTICO. A inserção artificial de genes estranhos representa um distúrbio traumático para o preciso controle genético em células normais. Ele é completamente diferente em natureza da combinação de cromossomos paternos e maternos decorrente do mecanismo natural de cruzamento.
2. A ENGENHARIA GENÉTICA ATUAL É PRIMITIVA devido ao fato de ser ainda impossível guiar a inserção de um novo gene. É, portanto, impossível prever os efeitos do gene inserido. Mesmo que a posição do gene possa ser localizada após sua transferência, o conhecimento do DNA ainda é muito incompleto para que se possa predizer o resultado.
3. SUBSTÂNCIAS PERIGOSAS PODEM SER GERADAS DE FORMA IMPREVISÍVEL por causa da inserção de um gene estranho. No pior dos casos, estas podem ser tóxicas, alergênicas ou, de outra forma, prejudiciais à saúde. O conhecimento destes riscos ainda é extremamente limitado.
4. NENHUM MÉTODO DE AVALIAÇÃO É TOTALMENTE CONFIÁVEL. Acima de 10 por cento dos efeitos colaterais de novas drogas não foram passíveis de detecção, apesar de uma avaliação rigorosa da sua segurança. O risco de não se detectar as propriedades perigosas de um novo alimento produzido pela engenharia genética é, provavelmente, maior que no caso dos remédios.
5. AS REGRAS ATUAIS PARA A AVALIAÇÃO DE SEGURANÇA SÃO SERIAMENTE INADEQUADAS. Elas foram explicitamente projetadas para simplificar os procedimentos de aprovação. Elas aceitam testes de segurança extremamente insensíveis. Portanto, existe um risco considerável de que alimentos prejudiciais à saúde não sejam detectados.
6. OS ALIMENTOS PRODUZIDOS PELA ENGENHARIA GENÉTICA NÃO TEM VALOR RELEVANTE PARA A HUMANIDADE. Os produtos, principalmente, satisfazem interesses puramente comerciais
7. O CONHECIMENTO DOS EFEITOS ECOLÓGICOS DE SE LIBERAR ORGANISMOS MODIFICADOS GENÉTICAMENTE É EXTREMAMENTE INCOMPLETO. Ainda não foi provado de maneira positiva que organismos modificados genéticamente não causam danos ao meio ambiente. Várias complicações ecológicas potenciais foram antecipadas por especialistas em ecologia. Por exemplo, existem muitos caminhos para a difusão descontrolada de genes modificados e potencialmente perigosos, incluindo a transferência gênica por bactérias e vírus. As complicações ecológicas na sua maioria provavelmente serão impossíveis de corrigir, pois os genes liberados não podem ser recolhidos.
8. NOVOS E POTENCIALMENTE PERIGOSOS VÍRUS PODEM EMERGIR. Já foi demonstrado experimentalmente que genes virais inseridos podem se unir com genes de outros vírus infectantes (processo de recombinação). Esses novos vírus podem se tornar mais agressivos que os vírus originais. Os vírus também podem se tornar menos específicos à determinadas espécies. Por exemplo, um vírus de planta pode se tornar nocivo à insetos, animais ou até mesmo ao próprio homem.
9. O CONHECIMENTO DA SUBSTÂNCIA HEREDITÁRIA, O DNA, É MUITO LIMITADO. Apenas é conhecida a função de cerca de 3 por cento do DNA. É arriscado manipular sistemas ainda não conhecidos completamente. A extensa experiência proveniente da biologia, ecologia e da medicina mostra que isso pode causar sérios problemas e distúrbios.
10. A ENGENHARIA GENÉTICA NÃO VAI AJUDAR A SOLUCIONAR O PROBLEMA DA FOME MUNDIAL. A reinvidicação de que a engenharia genética pode contribuir significativamente para reduzir a fome mundial é um mito não respaldado pela ciência, criado para manipular o comportamento das pessoas em relação a engenharia genética de uma forma favorável.


"Não aprovem alimentos modificados pela Engenharia Genética"

2 Comments:

Blogger INFORM4TICA said...

Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver meu Curso de Informática à Distância. Antonio B Duarte Jr.

9:11 da tarde

 
Blogger Violeta said...

hum, não sabia da diferença... então assim sendo, aqui está tudo misturado? http://portugues.free-ebooks.net/categoria/engenharia-genetica

8:36 da tarde

 

Enviar um comentário

<< Home